Área de Interesse Notícias
07 de abril de 2020 Saúde 4.0 - quais são as exigências do novo paciente?

Foram muitas as revoluções na indústria até chegar na atual revolução 4.0, onde a automação e a ciência de dados ganham relevância especial. Com a medicina não foi diferente.

O conceito ainda gera dúvidas tanto no que diz respeito a essa nova forma de viver a saúde quanto sobre o paciente do futuro, o chamado paciente 4.0. Afinal, o que ele procura? Como se comporta diante das informações ao seu alcance? E qual a forma de lidar com esse paciente oferecendo o que o setor da saúde tem de melhor?

Neste conteúdo deciframos o conceito, sua evolução, os anseios do paciente 4.0 e como se preparar para atender quem vive essa transformação. Acompanhe!

O que é saúde 4.0?

Com a revolução 4.0, todos os setores estão conectados. Os dados de um departamento contribuem para a tomada de decisão de outro. As informações, cruzadas em diversas possibilidades, passam a fazer sentido para soluções muito mais complexas e amplas.

A saúde 4.0 é este funcionamento que reúne tecnologia e integração de diversos setores de forma eficaz. Para tanto, alia a ciência de dados à ciência médica, sem restringir o conhecimento a apenas um grupo.

Para entender como se chegou até aqui, é importante analisar as diversas transformações no setor. Primeiro os atendimentos à saúde mantinham um caráter muito mecânico. Esta fase pode ser percebida até meados do século XIX com a chegada da eletricidade, que trouxe a segunda revolução. Em seguida, a telecomunicação do século XX representou a terceira revolução. E, finalmente, a automação, a conexão entre as máquinas, a ciência de dados e o compartilhamento representam hoje a revolução 4.0.

Com o conhecimento amplo e mais compartilhado, a saúde pode ser supervisionada mais detalhadamente pelo próprio paciente. Isso significa que o médico perde o seu papel relevante? Não! O conhecimento médico não perde em importância, mas a função do médico passa a ser muito mais transformadora, consultora e humana do que apenas informativa ou indicativa de tratamentos. É o que veremos a seguir. 

As revoluções impulsionadas pela saúde 4.0

Hoje, o Brasil possui a ABIIS ? Aliança Brasileira da indústria inovadora em Saúde ? com 480 empresas que atuam na produção, importação, exportação ou distribuição de produtos e equipamentos médicos destinados à saúde. Isso significa que são muitas as soluções oferecidas dentro dessa nova forma de atuar na saúde. Conheça algumas!

Soluções em diagnóstico

Alguns dispositivos como os Point-of-Care Testing conseguem identificar com precisão, em até 15 minutos, qual a patologia que o paciente está sofrendo. É possível indicar condições virais ou bacterianas (entre outras) que levam a variações na forma de conduzir o tratamento. 

Pode-se evitar, dessa forma, o uso inapropriado dos antibióticos, assim como reunir uma série de dados para um diagnóstico completo em poucos minutos. Isso reduz o desgaste dos pacientes e a superlotação de centros hospitalares.

Wearables e acompanhamento em real time

Ter equipamentos que podem monitorar a sua saúde em tempo real. Essa é uma das grandes tendências para o paciente do futuro. Assim, ele estará sempre ligado às alterações de seu organismo, para conhecer melhor as reações químicas que sofre diante de elementos que fazem parte de sua rotina.

Uma vantagem do wearable é que ele pode se conectar aos dados e às referências que chegam até o médico, oferecendo para o profissional um histórico muito mais completo que o habitual. Outro ponto positivo é que a pessoa também estará mais embasada em dados antes de buscar atendimento. Ela saberá explicar com precisão o que tem mudado em seu corpo e em que situação.

Data Science

A Ciência de Dados é o que promove que as pequenas revoluções sejam possíveis. Conectar dados e informações torna possível a existência de novos dispositivos que vão fazer trabalhos com propósitos diagnósticos ou terapêuticos, deixando para o médico o tempo e as informações necessários para entender bem o caso e oferecer o apoio que deve ao paciente. Mas quais seriam as exigências deste paciente?

Quais são as exigências do paciente 4.0?

O paciente do futuro tende a deixar de ser um receptor passivo, para ser mais participante e questionador sobre as informações e orientações recebidas. Ainda assim, pode ser um grande colaborador de sua saúde quando entende a importância e aplicação dos direcionamentos médicos recebidos, tanto para tratamento, quanto para prevenção e controle de alguma doença.

O paciente 4.0 busca informações, pede segundas opiniões, analisa possibilidades e, se tiver algum treinamento, buscará entender tudo sobre a técnica. Ele desafia o profissional médico justamente por ser muito antenado, mas pode facilmente se equivocar na interpretação das informações. Dessa forma, como lidar da melhor forma com esse paciente? Temos algumas dicas!

Como se preparar?

O conceito de saúde 4.0 vai muito além da busca por tratamentos de doenças. Tanto médico quanto pacientes devem saber que a grande questão nesta revolução é a busca pelo bem-estar. Isso passa pelos tratamentos de doenças, mas não se limita a tal.

Os pacientes irão, dessa forma, buscar atendimentos mais humanizados, mais personalizado e modernos. Por serem mais imediatistas, os pacientes buscarão respostas rápidas, para evitar angústias, deslocamentos e dificuldades desnecessárias.

Para isso, o profissional, além de estar intelectualmente sempre atualizado nas novidades tecnológicas e no que pode representar um diferencial para o seu atendimento em termos de precisão, diagnóstico rápido e análise de dados. Assim, algumas palavras como Data Science, internet das coisas, softwares na nuvem e dispositivos passarão a ser mais familiares entre os profissionais da saúde.

No mesmo compasso, o médico deve primar pelo atendimento cuidadoso, pela valorização do paciente, que precisará ser ouvido e compreendido. O trabalho deve ser otimizado por equipamento, poderá ser substituído, restando ao médico a atuação com conhecimentos técnicos em união aos conhecimentos sociais e humanos. É neste ponto que ele saberá a melhor aplicação para a tecnologia que estará ao seu alcance.

Fonte: poctesting.com


VOLTAR
Notícias Relacionadas
Consumerização da medicina: como aproveitar essa tendência?
08/07/2020 saiba mais
Nanotecnologia na saúde: como vem sendo aplicada?
08/07/2020 saiba mais
Telemedicina: tudo o que você precisa saber sobre o tema
08/07/2020 saiba mais
Saúde 4.0 - quais são as exigências do novo paciente?
07/04/2020 saiba mais
Entenda as diferenças dos testes POCT
13/03/2020 saiba mais
Para Dúvidas / Solicitações: ENTRE EM CONTATO