Área de Interesse Notícias
13 de março de 2020 Excesso de antibióticos: Quais os perigos das prescrições indevidas?

POINT OF CARE TESTING

Excesso de antibióticos: quais os perigos da prescrição indevida?

PUBLICADO POR EM MARÇO 12, 2020

 

6 minutos para ler

Em 1928, Alexander Fleming descobriu a penicilina. A descoberta foi uma revolução na medicina e salvou muitas vidas. Os antibióticos são, sem dúvida, uma contribuição para a vida humana, mas, como quase tudo na vida, seu uso inadequado pode trazer um mal que a maioria das pessoas desconhece.

A resistência aos antibióticos recebe a classificação da Organização Mundial de Saúde como uma das 10 maiores ameaças à saúde global. O tema é assunto de debate e preocupação no mundo inteiro.

O uso inapropriado de antibióticos compromete não apenas a saúde de quem faz uso, como também contribui para a mutação de bactérias extremamente resistentes que podem colocar em risco toda a população. Entenda melhor sobre o assunto no nosso conteúdo e saiba o que um bom profissional pode realizar para diminuir a má utilização do medicamento.

Quais os perigos do excesso de antibióticos?

Sabe-se que a resistência aos antibióticos pode ocorrer de forma natural, porém o seu uso inapropriado cria uma aceleração no processo. Com isso, é cada vez mais difícil tratar infecções, uma vez que os antibióticos vão se tornando ineficazes diante da maior resistência das bactérias.

Consequentemente, mais internações acontecem, com mais custos para a saúde e ainda mais riscos de novas infecções. Um estudo das universidades de Oxford, Southampton e Cardiff, no Reino Unido, alertou para o uso inadequado de antibióticos quando diante de condições comuns como mal-estar, dor de ouvido, garganta, ou tosse.

Pela análise de um registro com mais de 250 mil crianças, os pesquisadores identificaram que aquelas que recebiam antibióticos por mais de duas vezes, dentro do período de um ano, tiveram uma redução de 30% da eficácia do tratamento seguinte. 

Um número que assusta! A pesquisa também revela que a insistência dos pais levava à prescrição indevida de antibióticos. Os médicos, mesmo estando conscientes dos perigos do excesso de antibióticos, se sentiam pressionados pelos acompanhantes dos pacientes a prescrever o medicamento.

No ano de 2016, um relatório de entidades ligadas à ONU ainda revelou que, sem o controle correto, as infecções bacterianas causarão 10 milhões de mortes no mundo até 2050. Esse número ultrapassa a estimativa de mortalidade em decorrência de câncer para o mesmo ano, cerca de 8,2 milhões mortes.

Vale lembrar ainda que o uso inapropriado de antibiótico pode comprometer o fígado, além de gerar enfraquecimento das defesas naturais do corpo e comprometer os rins e o trato intestinal. Por isso, médicos e pesquisadores apontam como alternativas:

  • medidas de rastreio mais intenso das bactérias com maior resistência;
  • uso experimental de determinados vírus para erradicar algumas bactérias;
  • criação de uma maior conscientização sobre os perigos do uso desnecessário de antibióticos.

O que causa a resistência bacteriana?

Todo organismo vivo é capaz de evoluir e com as bactérias não é diferente. Essa resistência pode ocorrer principalmente em razão das mutações que conferem às bactérias uma proteção com relação aos antibióticos.

As superbactérias

Elas são normalmente associadas ao ambiente hospitalar, onde há grande circulação de pessoas com doenças infecciosas. Isso porque, uma vez que as bactérias estão contidas numa mesma população, elas podem alcançar o aumento de suas chances de reprodução e sobrevivência, criando toda uma colônia de bactérias mais fortes. Tudo isso acontece geralmente com a ocorrência de mutações.

Alguns dos fatores que contribuem para a formação de superbactérias são:

  • a automedicação, que na maioria das vezes leva ao exagero no consumo de antibióticos ou à interrupção e condução do tratamento de forma equivocada;
  • a administração de antibióticos para o tratamento de doenças que não são infecções bacterianas;
  • o uso do antibiótico inadequado para o tipo de bactéria instalada;
  • o uso equivocado de antibiótico em animais.

Como se vê, uma das principais contribuições para o surgimento das superbactérias é o uso inconsciente de antibióticos. Por isso, deve-se ter cuidado com as superbactérias, já que não se trata apenas da saúde de um paciente, mas de toda uma população.

Como acertar na administração do antibiótico?

O principal para se acertar na administração do antibiótico é o diagnóstico correto. Na automedicação, é muito comum que as pessoas se equivoquem quanto à patologia, o tratamento ou a administração do antibiótico.

Mas não somente a automedicação aparece como vilã desta questão. Muitas vezes, os sintomas de uma infecção se confundem com os sintomas de uma virose ou alguma outra patologia e a prescrição do antibiótico para condições virais é ineficaz e pode gerar o uso irregular do medicamento. Mas, para acertar na administração do antibiótico, como fazer um diagnóstico certeiro?


VOLTAR
Notícias Relacionadas
Consumerização da medicina: como aproveitar essa tendência?
08/07/2020 saiba mais
Nanotecnologia na saúde: como vem sendo aplicada?
08/07/2020 saiba mais
Telemedicina: tudo o que você precisa saber sobre o tema
08/07/2020 saiba mais
Saúde 4.0 - quais são as exigências do novo paciente?
07/04/2020 saiba mais
Entenda as diferenças dos testes POCT
13/03/2020 saiba mais
Para Dúvidas / Solicitações: ENTRE EM CONTATO